Conhecimento

O brinde da Diageo no Brasil

Após crescer 62% no país em um ano, a Líder global no segmento de bebidas alcoólicas investe no aumento da produção local e amplia linha de produtos para atrair um novo consumidor.

Paula Lindenberg presidente da Diageo no Brasil, Paraguai e Uruguai
"Com mais venda disponível e abertura de mercado, o percentual de consumo de destilado tende a aumentar” Paula Lindenberg presidente da Diageo no Brasil, Paraguai e Uruguai. (Crédito: Claudio Gatti)

Confira trecho da entrevista com Eduardo Tomiya, CEO da TM20 branding, para Beto Silva, IstoÉ Dinheiro.


A Diageo tem usado o mercado brasileiro como um hub de experimentos. O consumidor tupiniquim tem se destacado pela disposição em ampliar o paladar. É o que mostra o estudo da consultoria IWSR, referência em análises do mercado de bebidas alcoólicas, que coloca os brasileiros em segundo lugar no ranking mundial entre os que mais degustaram novos produtos e marcas no primeiro semestre de 2021. Ficamos atrás apenas dos chineses e à frente dos americanos, russos e italianos, que formam o top 5 da pesquisa.


Um mercado atraente, com potencial de crescimento. Ingredientes que permitem à Diageo experimentar novas fórmulas. Curitiba é uma das poucas cidades-piloto ao redor do mundo em que um novo produto da Diageo está disponível: o Johnnie Blonde, um uísque versátil feito especialmente para coquetelaria. Produzida na escócia, combina com bebidas gaseificadas e frutas. Tem atraído os amantes de drinques. “Principalmente mulheres e jovens adultos”, disse Paula. Sondagens da Diageo apontam que o Johnnie Blonde superou as expectativas de 96% daqueles que o provaram. “É uma forma de atrair novos consumidores e facilitar a entrada deles na categoria. Os testes estão sendo bem-sucedidos”, disse a executiva, ao ressaltar que a novidade será uma das apostas para o próximo verão – de dezembro a março. Está sendo preparada campanha para lançamento nacional do produto. Outras jogadas da Diageo no mercado brasileiro são a Smirnoff Infusions, com menor graduação alcoólica, o Gordon’s Tonic, gim-tônica pronto para beber, e o Ketel One Botanical, que não é nem uma vodca nem um gim. Trata-se de um destilado feito com produtos botânicos e infundido com essências naturais de frutas.


Para auxiliar os consumidores a fazerem seu próprio coquetel, a Diageo evoluiu seu portal The Bar, que além de funcionar como e-commerce oferece muitas receitas de drinques com suas marcas. Para Eduardo Tomiya, consultor de branding e marketing estratégico, o movimento da Diageo é positivo para o grupo. “Só tradição não basta. É preciso atender às necessidades dos consumidores, entrar em novas categorias, criar experiências e pontos de contato”, afirmou.


Fonte: IstoÉ Dinheiro


Link para a matéria completa: istoedinheiro.com.br/o-brinde-da-diageo-no-brasil

11 visualizações0 comentário
TM20_logo.png